Afe maria! É Jéssica!

Captura de tela 2015-10-11 18.21.32

Com tantos afazeres e com tantos pensamentos, não me dei conta de que alguém estava chegando… Aquela amiga que vem de tão longe e que ao mesmo tempo nunca deveria ter ido embora… Aquela amiga que nunca deveria ter saído da minha alma… Falo de Jéssica.

E Jéssica! Afe maria! Como pude viver todo esse tempo sem a ‘doida’ da Jéssica?

Como pude olhar tantas vezes com essa miudeza? Como pude ser tão conformada? Como pude deixar tantas vezes com que os sonhos apenas murmurassem quando nunca deveriam deixar de berrar?

Mas ao invés de me perguntar e de me lamentar, prefiro agradecer pela chegada de Jéssica.

Jéssica que me chama pelo meu nome, sem qualquer sinal de ternura e que berra com os olhos para que eu não me conforme e faça algo para mudar.

Que horas ela volta? — Essa era a pergunta da minha alma por todo esse tempo ainda que não conseguisse sequer escutá-la.

Mas o importante é que ela voltou, com essa imponência inabalável, com esse olhar inquiridor e com essa certeza de que tudo é possível, mesmo que não seja.

Jéssica não tem hora para voltar. Pode vir em uma quarta chuvosa e até em uma véspera de feriado, mas quando ela volta… Ah! Quando ela volta! Que se esvaziem as piscinas, porque Jéssica faceira está aqui.

Jéssica está aqui, onde deveria ter estado sempre. Jéssica está em minha alma. Com esse brado, com essa ‘impertinência’, com esse direito de ser quem é.

E ela volta não apenas para os conformados, não… Jéssica volta para os pingos nos is. Nem melhor, mas nem pior que ninguém. Uma andarilha no Universo, sem divisão de classes, sem divisão de terras e sem divisão de sortes.

Jéssica, essa garota sem barreiras, sem quaisquer limites e cheia de esperança.

Talvez você assim como eu precise do retorno dessa amiga distante. Talvez você precise de um pouquinho de conversa com Jéssica.

Defenda essa amiga… Brigue por ela e tenha a certeza de que estará sempre ao teu lado para te dizer quando e onde deve brigar. Porque você vai precisar ‘se defender’ e não é uma, mas centenas de vezes.

Venha Jéssica, pegue o que quiser e sente sem que sequer eu lhe convide. Me dê mais dessa esperança e dessa força e me ajude a enxergar a vida com essa igualdade que ela ecoa.

Ela voltou… E não importa mais a hora. Ela voltou e a água para o café está fervendo. Afe maria, Jéssica!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: