Não sei lidar com prazos de validade

prazos de validade

Tenho essa loucura de crer que algumas coisas são eternas. E creio. Creio em preciosidades espalhadas pelo planeta que duram para sempre.

Creio em validade, mas não aceito o prazo, sabe? Não sei lidar com prazos de usufruto. Sou um pouco egoísta, saudosista, sou um tanto gulosa com a vida.

Do tipo que prefere porra nenhuma do que ter um pouco. Não… Que estrague, apodreça, mas ao menos era muito!

Ninguém nunca poderá reclamar que o que dei foi nada, porque isso nunca acontece comigo, quando é assim eu mesma declaro: “não me dei, foi muito pouco”.

Mas se não disse nada, acredite, foi porque entreguei tudo o que poderia ter entregado. Te dei um espaço amplo dentro do meu peito. Aliás, o meu coração não tem sala de espera, sabia? (risos). Não há divisórias, não há burocracias, uma vez nele, pronto, terá todo o requinte que me cabe e que lhe cabe.

Vou te oferecer os meus melhores drinks, vou recitar os poemas mais sentimentais e ridículos que já ouviu na vida. Não vai ouvir nada que já tenha ouvido, sou do tipo que psicografa poemas de amor jamais recitados por vivos e por mortos, são psicografias dos recôncavos do infinito.

Não sei lidar com finitude, embora a vida me pressione a conviver com essa realidade. Mas é tão cruel para o meu entendimento!

Tanto não sei lidar com prazos de validade que tenho imensa dificuldade em discernir quando é hora de fechar um ciclo. Os ciclos em minha vida se fecham por força maior, por força maior que a minha.

Já me perguntaram se sou exigente (em relação ao amor). Aliás, perguntinha bem clichê. Não exijo, mas tenho algumas condições existenciais, dentre elas, a condição de tudo, tudo, muito, muito.

Tenho esse quê de Cazuza, tenho essa irrealidade de Lewis Carroll. Tenho esse embalo de rock and roll, tenho essa trilha de Come on baby light my fire.

Será que tem que ser assim como é com o pão de forma? Será que precisamos mesmo recorrer sempre ao prazo de validade para saber até quando um produto pode ser consumido? Será mesmo que essa de confundir pessoas com produtos vai continuar a todo vapor?

Não sei lidar com: até tal data. Falo da vida, claro. Falo de sentimentos. A minha tensão e intensidade não se relacionam de maneira alguma com prazos limitados. Sou tão inteira quando o assunto é dar o que tenho e tão “exigente” quando o assunto é dar sempre mais para humanos que não são produtos!

Se você que está em outro planeta agora tiver acesso a isso. Por favor, se comunique!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: