Se ele ou ela não está tão afim de você, e daí?

e daí

Confesso que fiquei ensaiando um tempo até ver o filme Ele não está tão afim de você, eu achava meio insosso e não queria ir até o final, mas um dia finalmente fui até o fim e sabe o que achei? Que parecia um lance de que a mulher que gostava do cara e que não era correspondida deveria ser “simplesmente” racional porque o cara não queria nada e ponto. Ela não deveria ouvir Adele, ir comprar no crédito, beber vodca ou se enfiar no quarto por dois dias seguidos… Ela precisava ser tão racional quanto o amigo dela. E não é “proibido” enfiar o pé na jaca se não estiver numa boa.

Mas aí me questionei: “Como alguém que está apaixonada, que saiu do seu mundo para ver o mundo de alguém, consegue facilmente racionalizar?”. Pode até ser racional, mas não é algo assim tão simples, tão prático.

Também pensei na questão do filme em si como uma coisa de “Ih! Ele não está tão afim, hein!”, como se as pessoas tivessem que viver em função de ser correspondidas.

Mas e daí se ele ou ela não te correspondeu? E daí se não quiseram te conhecer como de fato é, e daí se depois de um encontro que foi legal, a pessoa não quis mais e daí, se talvez essa pessoa tenha te bloqueado nas redes sociais ou te bloqueado no whatsApp? E daí, se não foi do jeito que você achava ou queria que fosse?

Poxa, somos seres únicos, temos o nosso jeito próprio de ser e de existir, talvez alguém na Rússia tenha uma letra parecida com a minha ou um jeito muito parecido com o meu de agir, mas ainda assim, é diferente.

Você tem o seu jeito de olhar o mundo, o seu jeito divertido de encarar os fatos; você pode ter aquele sarcasmo que quem não te conhece pode pensar que é mau humor ou antipatia; você tem aquele jeito de andar elegante. Talvez você seja do tipo que feche os olhos para cantar uma música e quer saber? Nem todo mundo sabe lidar com essas particularidades!

Você pode ser alguém que gosta de dançar sem música ou que tome vodca achando que vai se manter no controle quando está alucinado falando sobre a camada de ozônio.

Você pode ser alguém que não se importa com alguém tão diferente de você, mas quer saber? Muita gente não sabe lidar com diferenças e dizem que os opostos se atraem, mas na real, para muita gente não é assim… E não há regras quando se fala em sentimentos!

Mas foda-se se não te aceitaram, se não te quiseram, se não se esforçaram para lhe conhecer melhor… Se responda apenas uma pergunta: “Você se quer?”. “Você quer passar o resto da vida com você?” Então eu te declaro cagando e andando para quem não te quis, a vida segue!

Esse texto não é algo como “A pessoa precisava te querer”, é apenas um convite à libertação dessa obrigação apregoada no mundo de que você dá algo e alguém precisa te retribuir, porque não precisa. Você se deu com generosidade e não é do tipo que pede os presentes de volta porque foram dados de coração,  então, se ele ou ela não estava tão afim de você, esteja você afim de si mesmo e pare de dar bola ao que não merece.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: