A doçura da vida, os amigos e a esperança

2016-02-27

Charlie Brown, sempre atrapalhado e doce. Ingênuo é verdade, como diz a sensata Lucy.

A gente desde pequeno é convidado a sair do mundo encantado e ir para a realidade. Aprende que tem regras para tudo. Há sempre um porquê para tudo e sempre há um limite que ninguém diz porque existe, mas que não permite questionamentos e é aí que seres como Charlie Brown e eu não nos encaixamos.

Temos o nosso jeito naturalmente desajeitado, temos um pouco de incertezas demais, temos aqueles nossos sonhos e aqueles poucos e únicos amigos. Temos as nossas regras particulares que podem ser quebradas a qualquer momento, temos um apreço pelo vento.

Temos nossas redundâncias, nosso jeito de encaixar significados e nossa maneira de pensar além das barreiras.

2016-02-27 (1)Há uma infinidade de pessoas no mundo, entre anônimos e celebridades, vivendo uma vida sendo o que não são. Há uma infinidade de pessoas vivendo em limitação. Há uma infinidade de pessoas cercadas por pessoas vazias e que nunca, nunca as conhecerão. E há aquelas pessoas que são o que devem ser, que tentam preservar a sua essência, entre muitas frustrações na maior parte do tempo.

Há aqueles que são os escritores da própria vida e estão acostumados com os dramas, com as mortes, com as ressurreições, que não querem nada além da sombra, do frescor e da paz.

Há aqueles que veem nos animais uma divindade inquestionável. Que tiveram ou têm um grande amigo animal que ensina como é lindo amar sem pensar. Como é lindo viver para amar.

Sabe, a poesia mora no pó. As grandes palavras são as simples para o coração e o brilho da vida está no opaco, que a gente lustra com a esperança e vê irradiar sem se surpreender, porque o brilho se sente. É possível ouvir a voz de Deus, é possível ouvi-lo dizer o quão nos ama por meio dos detalhes que aprendemos de maneira terrível que são bobagens.

Sempre me surpreenderei com arco-íris. Sempre sentirei alegria com os amigos escolhidos pelo meu coração. E talvez muita gente não saiba e nem sequer queira saber quem você é. Talvez nunca me conheçam, sim, aqueles do meu convívio, mas lhe digo: a vida é um sopro de milagre e vida. A vida é uma cor que não se acha com os olhos, mas que se sente com o coração.

A doçura de uma amizade sincera é como frescor para a alma. Ter amigos é benção divina. Amar com liberalidade é um dom e a esperança… Ah! Ela é o combustível da alma dos pobres insanos.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: