Desligue-se, mas não pare!

mulher dançando

Se desligar é necessário, ainda mais em tempos tão atordoadores.

De repente é como se não houvesse mais forças como antes para pensar, realizar. O que há de errado? Nada. É assim que precisa ser.

Tudo precisa parar para se refazer em algum momento. É importante se permitir um tempo por algum tempo. Parar para respirar.

Desligue-se. Talvez o momento seja o de não ser absolutamente nada.

Não sou escritora de autoajuda, utilizo como base as minhas experiências, a minha essência e, esse é um momento particular em que sim, me sinto sem forças. Não sei se já ocorreu com você, mas é quando não adianta forçar a barra que nada vai sair como se quer, entende? Então, nada deve ser forçado.

O que resta é se desligar, ficar no silêncio de si mesmo, ir para o caminho mais suave e simples, ao menos por enquanto.

Ir contra si mesmo, ir contra o próprio cansaço nem sempre é sinônimo de superação, às vezes pode ser só se desgastar mesmo e desnecessariamente.

Aí você pode me questionar em pensamento: “Por que um vídeo de Florence + The Machine e tão animado?” Porque se desligar é um momento importante para renovar as energias, renovar os pensamentos e os desejos em relação a si mesmo e ao mundo em volta.

Se você for um viciado em cafeína como eu, talvez seja hora de mudar a bebida para algo mais leve, que não mantenha a atenção. Estar distraído às vezes é bom.

Tome como exemplo o cupim de madeira que ninguém percebe até ver o móvel todo destruído (risos). O que quer dizer que se desligar não tem relação com parar ou abandonar projetos. A única diferença é o estado ponto morto (risos).

Criança quieta para muitos, não é sinônimo de traquinagem? Pois então sigamos esse exemplo. Às vezes precisamos brincar em silêncio, cavar buracos que levem até o Japão enquanto pensam que o máximo que faríamos é espalhar sujeira no chão.

Como estou assim, cheia de exemplos (risos), cito o exemplo dos vulcões que ninguém sabe ao certo quando entrarão em erupção e um dia eles entram.

Então, vire a chave, desligue, mas mude o foco, cuide do que não estava cuidando antes, isso até que o vento passe, até que a poeira baixe. E em pouco tempo você vai ver como “os dias de cão já terão acabado”.

É hora de viver a fase de desligamento, pode ser ao som de Florence + The Machine  e vale arriscar dançar como quiser.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: