Aquilo que mais negamos possuir é o que mais transborda na alma

patience

Todos os dias eu bebo pelo menos umas três doses intensas de café, todos os dias eu tenho crises de ansiedade e todos os dias eu digo em silêncio ‘vou infartar, hoje’. Todos os dias em algum momento eu clamo ‘Paciência!’, porque me acho completamente desprovida desse dom, dessa virtude.

Ontem estava ouvindo Patience, repetidamente, o hino certo para a pessoa certa… De repente dei uma olhada no videoclipe, me lembrei rapidamente de MTV e claro, de como o tempo voa… A cena em que Axl começa a quebrar o telefone enquanto rola o clamor pela querida paciência (minha cara).

Quem não me conhece pode me achar a pessoa mais calma e serena desse mundo até conviver por alguns dias. É uma impaciência capaz de cegar, mas por alguns minutos apenas. Enfim, o que isso tem a ver com esse texto? Tudo, eu vivo dizendo que sou impaciente, mas sempre consigo respirar fundo e de alguma forma sempre consigo entender as não respostas ou simplesmente ausências de compasso. Em nenhum momento penso que as pessoas deveriam ser como eu (nos nervos), que sejam o que quiserem, como quiserem, que eu desabe sozinha aqui nesse meu mundo à parte, deliciosamente.

A paciência deve gostar muito de quando digo que não a tenho, acho que temos uma paixão bem intensa uma pela outra. Brigamos, digo que não tenho nada dela em mim, mas de repente percebo que ela transborda em minha alma, em minha capacidade de esperar, de semear, de tentar não ter um colapso por querer que a semente cresça imediatamente.

Aí estava aqui pensando, o que mais negamos ter é aquilo que nos chama, é a nossa vocação, faz parte da essência. Quantas vezes já temi e quantas vezes encontrei coragem do âmago para tantas coisas! Quantas vezes me achei um dos seres mais sombrios, mas me surpreendi com alguma luz brotando na alma em forma de esperança!

E a gente diz que não pode, que não consegue, que não vai e de repente se olha e vê o que tem feito… Nem conseguimos sentir que isso fez parte de vencer os obstáculos.

Sempre que não houver pretensão haverá matéria-prima de qualidade lapidando o espírito. Sempre, sempre. Essa reflexão não vai me fazer beber menos café, não vai me fazer deixar de continuar clamando pela paciência ou me impedir de me preocupar com a saúde do coração. Mas é engraçado porque o motivo pelo qual consigo pensar sobre isso é ter em mim essa calma de estender os sonhos e a esperança mais um pouco, mais um pouco, mais um pouco, até que finalmente…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: